18/07/2015

CHUVAS EM TUPANCIRETÃ - MAPA DO ÍNDICE PLUVIOMÉTRICO

A Cooperativa Agropan através do DETEC Departamento Técnico tem realizado ao longo dos últimos um relevante trabalho interligado as comunidades rurais para acompanhar o ÍNDICE PLUVIOMÉTRICO. Neste trabalho podemos avaliar os períodos de mais e menos chuvas.
Vejam uma pequena mostra atual dos dados.
Fonte: http://www.agropan.coop.br/

17/07/2015

Tupanciretã é destaque na TV Globo

A ação idealizada e realizada com sucesso da EMATER, ROTARY CLUBE DE TUPANCIRETÃ e a UNIDADE PSIQUIÁTRICA junto ao HCBT Hospital Brasilina Terra e apoio da RBS TV Cruz Alta  vai ser destaque na manhã deste sábado 18/07/2015 na GLOBO - Programa COMO SERÁ? apresentado pela Jornalista Sandra Annenberg. Esta ação em Tupanciretã também teve o apoio Casa das Plantas, Supermercado Dinos, Agropecuária Garbim, e outros doadores anônimos pelo apoio neste projeto integrado com Assistente Social Ilsa Miranda e Psicóloga Lauren Pedroso.

http://redeglobo.globo.com/como-sera/

Horário













15/07/2015

Julio de Castilhos 124 anos de emancipação - resgate histórico do ano de 1922

    A Lagartus histórico registra um pouco da história deste município entre 1921 e 1922 numa magnifico trabalho de registro feito pelo escritor Alfredo R. da Costa com considerações de Luis Afonso Costa.


O município era administrado em 1922 pelo Intendente Cel. Alvaro H. Pinto e o Conselho Municipal era presidido pelo Dr. Fabio Martins Palhano (abaixo)

 As divisas municipais eram Cruz Alta, Santo Angelo, Santiago do Boqueirão (hoje, Santiago), Santa Maria, São Vicente do Sul, Cachoeira (hoje, Cachoeira do Sul) e Soledade.

Os montes altos e principais eram: Trombudo, Formoso, Cerrito e Bonito;

As estações férreas eram: 
  1. Val de Serra com 465m,87 de altura;
  2. Taquarembó com 504m,87 de altura;
  3. Julio de Castilhos com 506m,87 de altura;
  4. Tupaceretan (hoje, Tupanciretã) com 461m,50 de altura -mapa abaixo         
  O 2º Distrito Eleitoral que pertencia a Cruz Alta contava em 1921 com 1.500 eleitores federais e 2.500 eleitores estaduais.

   A divisão administrativa tinha 7 distritos: 
  1. Julio de Castilhos
  2. Tupaceretan - emancipado em 21/121928
  3. Jary - emancipado em 20/11/1994 de Tupanciretã
  4. Val de Serra 
  5. Nova Palma emancipado em 29/07/1960
  6. Igrejinha - hoje Quevedos - emancipado em 29/11/1938 de Julio de Castilhos.
  7. Toropy - hoje Toropi - emancipado em 22/10/1995 de São Pedro do Sul
  A povoação de Julio de Castilhos consta de 1870 e em 1880 foi elevada a categoria de frequezia e 14 de julho de 1891 a categoria de município e sua instalação em 7/7/1891.

   Foi criado com nome de Villa Rica em em 1905 por um administrativo foi mudando para Julio de Castilhos em homenagem ao Dr. Julio Prates de Castilhos que Nasceu na Fazenda da Reserva em 1922 esta Fazenda tinha como proprietário o irmão do Patriarca do RS, Cel. Carlos Castilhos.
    
   O Capão da Reserva era o local dos propagandistas da republica que eram contra a monarquia.

   O Município tinha 5.500 km²;
   A área tributada era de 542.565 hectares num valor venal de 39.160:900$000
   Tinha 3.095 contribuintes com impostos de terra;
    A geração de imposto em 1906 era de 17:867$302 e 1921 de 114:169$200;
           A Coletoria Estadual era dirigida pelo sr. Lourival Hausen que com seu trabalho arrecadou em 1921 - 214: 371$452 visto que 10 atras tinha coletado 121:003$626;
          

       
  A pastagem dos animais eram classificados como pertencentes ao Valle do uruguay (bacial ocidental - Rios Jaguary, Nhacapetum entre outros com pastos finos já na bacia do Jacuy o pasto era mais grosso;

  A pecuária era assim formada:
  1. Bovinos - 150.000 cabeças;
  2. Equinos -   10.000 cabeças;
  3. Ovinos -    30.000 cabeças;
  4. Muares -     2.000 cabeças;
  A produção era dividida entre 70 pecuaristas que criavam entre 1.000 a 10.000 bovinos.

Este touro da raça " flamengo" pertencia a Fazenda da Taquara localizada no Rincão dos Padilha que tinha 43 quadras de sesmaria e mantinha uma criação de 2.000 cabeças entre bovinos e equinos e estava avaliada em 500:000$000 contos de reis.

A Fazenda da Taquara, pertencente ao Cel. Carlos Castilhos foi sede da 1ª eleição após a proclamação da Republica.
    O Cel. Carlos Prates de Castilhos era possuidor de uma das maiores fortunas, tinham uma criação de 5.000 animais entre bovinos, equinos e ovinos;
       Era um cidadão respeitados pro todos e sendo um republicano histórico tinha grande respeito no Rio Grande, era um idealista, tinha independência de carácter, tinha um a palacete do centro da cidade com todo o conforto bem como outras diversas casa na cidade;

       Um outro fazendeiro com destaque em 1922 foi o Cel. Severo Correa de Barros que tinha  uma estância na localidade do Batú (que pertencia ao 2º Distrito de Cruz Alta) tinha 82 quadras de sesmaria, criava bovinos das raças Duhan e hereford e sua propriedade estava avaliada em 1.000:000$000 de contos de reis. também tinha outra propriedade a Estância Taquarembó. Seu filho o Engenheiro Agrônomo tinha uma propriedade com 150 hectares para criações finas de aves e suínos. 

                   Dr. Napoleão                                  Cel. Severo

Imagens diversas de 1922













   Visão do vilarejo de Tupaceratan com a  Rua do Comércio (hoje Av. VAz Ferreira) dividindo Julio de Castilhos e Cruz Alta.




    


   



14/07/2015

CTG Tapera Velha realiza a sua festa tradicional caipira em Tupanciretã

A patronagem do CTG Tapera Velha em conjunto com a Invernada Xirua realizaram com sucesso uma Festa Caipira Tradicionalista  na sede social no centro da cidade, alem dos quitutes tradionalistas com doces e salgados teve danças e até casamento caipira, escolas e entidades participaram da atividade no domingo de 13/07/15. A Lagartus fotos e eventos teve presente e compatilha uma galeria especial para nosso registro histórico. A IMPRENSA autorizo o uso das imagens para (LUIS AFONSO COSTA) desde que enviem um Email comunicando uso para luisafonsocosta@yahoo.com.br.