24/10/2015

Os limites da liberdade - Jornal A Voz do Jari - Tupanciretã


Página 2

Editorial 
Sob os reflexos da crise financeira e cultural que assola o país, a sociedade, aturdida pelo sacrifício do arrocho salarial, está vivendo uma onda de rebeldia, de desespero e de insatisfação, e por que não dizer de indignação. As mínimas coisas são sentidas como graves motivos para ataques pessoais descomedidos. A revolta expressa em ofensivas palavras está além da postura e da dignidade de muitas pessoas. E, com isso, o sentido da democracia está ultrapassando o poder do limite da liberdade de expressão, cidadania e da consciência crítica e cultural, o que se evidencia no Facebook e nos movimentos sociais. É lastimável se observar a falta de ética e de respeito de alguns faceanos, expressas nas suas postagens, quando que, as redes sociais, como o próprio nome bem diz, têm como fundamento primordial a aproximação das pessoas, o relacionamento, a comunicação, e o lazer, cultivados através desta importante ferramenta tecnológica. É lastimável se ver muitas pessoas de curso superior, profissionais, pessoas que dizem cultas, assim como uma massa de mal informados, usando essa importante rede social para desestruturar o meio em que vivem. Jamais se pode brincar com a imagem ou a idoneidade de quem quer que seja, ou insultar autoridades com palavras que venham em desabono a sua moral, ou a sua idoneidade. A Lei é bem clara e diz que isso é crime. E muitas pessoas não sabem da gravidade disso ou estão brincando de mocinho tendo como alvo o nome de seus próprios amigos ou conterrâneos. Assim como também muitas lideranças não estão se dando conta dos reflexos que isso poderá gerar as famílias de seus próprios amigos. Daí o poder da prevenção, depois de acontecer uma desgraça, não adianta se desesperar. Tudo é possível quando não se tem conhecimento do que é possível, como resultados ou consequências de um ato impensado. As manifestações populares, as mobilizações sociais são valiosas maneiras do livre exercício democrático. Mas, desde que sejam revestidas de respeito, educação ou fundamentadas pelo diálogo, como a mais eficaz ponte ao entendimento. Não se pode confundir democracia, com anarquia, Essas duas formas são análogas no ponto de partida, mas divergem em resultados. A desestruturação da sociedade está se tornando alienante. Muitas pessoas ainda não se deram conta disso. Não sou contra as manifestações populares. Ao contrário, vejo os movimentos sociais como uma ação democrática de reconstrução social, de luta por mudanças. Mas desde que sejam bem conduzidos, pois quando entra a violência, com agressões, atos ou palavras de desacato às pessoas, a razão perde o sentido. Diante disso, vamos refletir sobre muitas coisas que vem acontecendo na nossa Comunidade, no Estado e no País, lembrando que palavras não se perdem ao vento, elas são mais eficazes que as armas bélicas. E a hipocrisia é o pior veneno que corrompe uma sociedade. A democracia exercida com cidadania e responsabilidade é o mais puro e legítimo direito democrático de um povo polido, ordeiro, consciente da sua liberdade constitucional perante os princípios éticos e morais. Pense nisso! Eloá Silveira de Souza

TUPANCIRETÃ INICIA O RECAPEAMENTO DE TODAS AS RUAS E AVENIDAS ASFALTADAS NA CIDADE


A Administração do Prefeito Carlos Augusto (Guga) - PP e Gustavo Lirio - PSDB após um longo e árduo projeto inciado em 2014, passando pelo impacto financeiro do município, ordenação contábil, análise e aprovação da Câmara de Vereadores, análise e complemento documentais através o BADESUL, mais complementos  documentais exigidos pelo Banco Central, foi assinado o contrato e creditado ao município de Tupanciretã um valor de R$ 2.000.000,00 ( Dois Milhões de Reais) mais a contrapartida do município. Depois do processo licitatório vencido pela empresa BRIPAV para realizar o tão sonhado e necessário investimento do recapeamento de todas as ruas e avenidas no dia 23/10 esta ação administrativa teve o seu inicio.

LOGRADOUROS COM ESTE INVESTIMENTO
1 - Av. Rio Branco - toda  a sua extensão
2 - Av. Vaz Ferreira - Parque Exposição até padaria Danati
3 - Rua Antonio Silveira - entroncamento da Vaz Ferreira  até praça Leandro Kruel
4 - Rua Paulino Aquino - Vaz Ferreira até Banco do Brasil
5 - Rua Capitão Amorim - trecho entre Vaz Ferreira e Quiosque Brigada Militar
6- Rua Duque de Caxias - Vaz Ferreira até entroncamento com Rua Carlos Mariense de Abreu
7 - Rua Cel. Luis Azevedo - trecho entre esquina Celso Fernandes até entroncamento o Largo Visconde de Mauá
8- Largo Visconde de Mauá - Av. padre Roque Gonzales
9 - Avenida Padre Roque Gonzales - toda a sua extensão.

  A obra tem etapas para cumprimento e repasse após a avaliação técnica e laudo para emissão de pagamento.
  Para realizar esta operação de financiamento foi necessário o equilíbrio das contas e gestão publica do conjunto com todas as análises necessárias visando portanto a liberação deste recurso.

  A Lagartus passa a acompanhar toda este investimento dia a dia.

23/10 Chegada dos equipamento e inicio da limpeza da Av. Rio Branco sentido Rodoviária centro










24/10 - Preparação da base existente e colocação da camada inicial 







Imagens de Gustavo Lirio, Voz do Jarí e Prefeitura 


    Imagens: Luis Afonso Costa de 24/10 as 18:22 com transito já liberado




     Na segunda 26/10 segue as atividades





    Deste para melhor é o nível de implantação em toda a cidade


Até segunda 26/10/15


CHAPA SOLAR CONSTRUIDA COM LATINHA DE ALUMINIO

    Neste artigo você vai aprender passo a passo como construir-se reutilizar latas de refrigerante, que também estará ajudando a reduzir os resíduos gerados por seus resíduos
   O sistema é simples: o sol aquece latas de alumínio pintado de preto que, sendo perfurada, será preenchido com circulação de ar, criando uma corrente de baixo para cima e fazendo com que o furo superior é de ar quente. Isso vai nos dar esse aquecimento, utilizando um tubo que transporta o ar.
   Assim, é possível incorporar a tecnologia verde em sua casa para aquecer espaços pequenos como um quarto. Além disso, este aquecedor irá fornecer uma temperatura de 21 a 26 ° C, de modo que também irá ajudar a reduzir o consumo e ajudar a economia doméstica.

Passo a passo


Construir dutos
1. Quando você tiver coletado uma quantidade suficiente de latas com uma faca perfura a parte superior e inferior de cada um.
2. Lave-os com água e detergente.

3. Colocar silicone em cada extremidade da extremidade aberta e ligá-las a outras latas para formar uma fileira.


4. Faça 14 colunas de 14 latas cada.
Estes serão os caminhos através dos quais passam o ar em seu aquecedor.

Construir a caixa de colecionador

1. Corte as placas multilaminados para montar uma caixa com lados arredondados.
2. Combine as madeiras com cola branca e unhas. Enquanto a cauda, em seguida, manter juntos os painéis secos.
3. areia das bordas.


4. Uma vez que a gaveta é, base seca isolada com lã de rocha. (lã de vidro) 
                               
5. Pegue uma caixa de madeira como você fez e fazer 14 aberturas com a circunferência de latas, para caber dutos.

Construa seu aquecedor
1. Coloque latas de silicone em cada coluna e anexá-las para os furos na madeira.
2. Faça o mesmo com os 14 canais.


3. Faça-o duas aberturas para a caixa de colecionador, onde os tubos para entrada e saída de ar ligado.
4. Coloque um tubo de alumínio em cada orifício.


5. Pinte latas colunas com tinta preta para absorver mais calor.

6. Termine o seu aquecedor com uma superfície de policarbonato e lugar onde não há luz solar direta.

Então, você está pronto o seu próprio aquecedor solar para economizar energia e ajudar a proteger o meio ambiente a partir de sua casa.

Fonte: http://www.labioguia.com/

18/10/2015

HOMENAGEM DIA DO PROFESSOR EM TUPANCIRETÃ


PEDRO QUEBRA, O GINETE DE TUPÃ!



   Texto Livro " Tempo de Inconfidências" de Moisés Menezes


Pedro Quebra

Jadir Oliveira
Compositor: Telmo De Lima Freitas

Se chamava Pedro Quebra
Eu não sei quem batizou
Quebrou corincho de potros
Que nunca ninguém quebrou

Gostava de beber canha
Negro loco de ginete
Já desde o primeiro pulo
Cortava e dava porrete

Largava porteira afora
Do jeito que ele queria
Se largassem o demônio
Garanto que não caía

Fez tudo que um peão de estância
Tem direito de fazer
Quem falar em Pedro Quebra
Tem muito para dizer

Um dia ajeitou as garras
Pra trotear e não voltou
Mas o negro Pedro Quebra
Na vida ninguém quebrou

Negro legenda campeira
Das estâncias de Tupã
Morreu contando proezas
Num domingo de manhã

Link: http://www.vagalume.com.br/jadir-oliveira/pedro-quebra.html#ixzz3osdBMm5Z