18/12/2015

TUPANCIRETÃ COMEMORA OS SEUS 87 ANOS COM EVENTOS NA CIDADE













Matéria completa , com imagens, amanha 19/12

MUNICÍPIO DE JARÍ LANÇA LIVRO RELATANDO SUA HISTÓRIA

Ainda, hoje, relato sobre este livro e o evento realizado no municipio

ARTE NATALINA É DESTAQUE EM NOVA PALMA

   O artista ROGÉRIO BERTOLDO (São João dos Mello - Julio de Castilhos) mostra o seu imenso talento com mais uma obra para posteridade ,desta vez uma NATALINA  confeccionada em pedra de arenito em tempo record de 05/12 a 17/12/2015  peças para um PRESÉPIO que foi instalado na Praça Principal de Nova Palma-RS. Rogério e Giselda e seus familiares, vizinhos e amigos estão revolucionando a localidade com o "Jardim das Esculturas" entre Julio de Castilhos e Nova Palma.

Antes - confecção - finalização



















Imagens: Jardim das esculturas

TUPANCIRETÃ FOI O MUNICIPIO COM MAIOR CRESCIMENTO DO PIB NO RS - FEE

   

 A Fundação de Economia e Estatística (FEE) e as demais instituições estaduais, em conjunto e sob a coordenação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgam o Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios para 2013 e a revisão dos dados de 2010 a 2012. Essa nova série incorpora as mudanças metodológicas realizadas nas Contas Nacionais no início do ano e nas Contas Regionais em novembro. A partir desses dados, é possível a comparação dos municípios das 27 unidades da Federação.

     É importante destacar que a metodologia do PIB Municipal não permite a decomposição dos índices em volume e preço e, por isso, ele é calculado apenas em valores nominais.

      O PIB dos municípios em 2010 e as mudanças metodológicas
     Em março de 2015, o IBGE divulgou a nova série do PIB nacional (Referência 2010), incorporando diversas mudanças conceituais e metodológicas com a finalidade de aperfeiçoar a aferição dos resultados econômicos do País. Em novembro, o processo teve continuidade com a divulgação das Contas Regionais entre 2010 e 2013 e agora se conclui com a divulgação do PIB dos municípios.

    Na comparação entre as séries antiga e nova de 2010 do PIB dos municípios do Rio Grande do Sul, observa-se uma pequena desconcentração da participação dos 10 maiores (-0,3 p.p.), mas com uma maior concentração entre os seis maiores (0,5 p.p.) e principalmente nos dois primeiros (1,3 p.p.). Na composição, Caxias do Sul ultrapassa Canoas, assumindo a segunda colocação, Rio Grande perde três posições, São Leopoldo ganha quatro e, junto com Cachoeirinha (que ganhou duas posições), inclui-se nos 10 maiores, no lugar de Santa Cruz do Sul e Passo Fundo.

    No caso do Valor Adicionado Bruto (VAB) da agropecuária, ocorre uma leve desconcentração da participação nos 10 maiores (diminuição de 0,1 p.p. indo para 10,1%), mas com grandes modificações em sua ordenação. Uruguaiana ultrapassa Alegrete e assume o primeiro lugar. Tupanciretã, ganhando 12 posições, Vacaria (11) e Palmeira das Missões (7) passam a integrar os maiores VABs agropecuários, saindo desse grupo Cachoeira do Sul, Santana do Livramento e Rio Grande.

   O VAB da indústria mantém um alto grau de concentração nos 10 maiores (47,8%). No que concerne à composição, Caxias do Sul e Novo Hamburgo ganham 1,2 p.p. e 0,7. p.p. respectivamente, sendo os que mais ganham participação, ao contrário de Canoas (-1,9 p.p.) e Triunfo (-0,7 p.p.), os que mais perdem. Bento Gonçalves, saltando três posições e Sapucaia do Sul, saltando duas, passam a fazer parte dos 10 maiores, enquanto Rio Grande e Guaíba saem do grupo.

   O grupo dos 10 maiores municípios segundo o VAB dos serviços não sofreu alteração, mas passou a ter uma maior participação no Estado (52,8%), resultante do aumento de Porto Alegre (3,6 p.p.) e Caxias do Sul (0,8 p.p.).

   Essas diferenças nos resultados do PIB dos municípios gaúchos são, em sua maior parte, decorrentes de mudanças nos critérios de rateio dos valores do PIB do RS entre seus municípios, destacando-se a atualização do VAB da agropecuária com base no Censo Agropecuário de 2006 e o uso das estatísticas de saídas da Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul (Sefaz-RS) para o comércio e a indústria de forma mais desagregada.

    Destaques no PIB dos municípios em 2011 e 2012

    Em 2011, em relação a 2010, destacam-se o crescimento do PIB de Caxias do Sul e as quedas de Canoas e Triunfo. No caso do primeiro, a variação positiva foi provocada pela atividade de fabricação de caminhões, reboques e carrocerias, enquanto as variações negativas dos outros dois municípios são explicadas pelo refino e pela petroquímica, respectivamente, ambos decorrendo do aumento no custo de suas matérias-primas. Especificamente em relação ao VAB da indústria, destaca-se a queda de Candiota devido ao aumento do custo da geração de energia térmica. Na agropecuária, a queda do preço do arroz prejudicou Uruguaiana, Alegrete e Santa Vitória do Palmar, enquanto a produção de trigo e milho beneficiou Cruz Alta, e a de soja, Tupanciretã.

Já em 2012 em relação a 2011, as principais mudanças no PIB dos municípios gaúchos vieram da queda de Canoas devido ao impacto do aumento do preço do petróleo no setor de refino e do crescimento de Rio Grande pela produção de plataformas. Especificamente na indústria, Aratiba teve a produção de energia diminuída devido à estiagem. Essa mesma estiagem prejudicou a produção de soja em Tupanciretã, São Miguel das Missões e Jóia. Dom Pedrito, ao contrário, cresceu devido ao aumento de área plantada de soja. Já Camaquã teve ganhos devido à melhora nos preços do arroz e do fumo.

Principais resultados de 2013

O PIB do RS apresentou, em 2013, um crescimento nominal de 15,3%. O setor que mais contribuiu para esse desempenho foi a agropecuária, que cresceu nominalmente 76,7%, resultado da recuperação da estiagem do ano anterior. Os setores de serviços e indústria também apresentaram variações positivas de 13,8% e 6,3% respectivamente.

Os cinco municípios que apresentaram maior crescimento relativo possuíam a agropecuária como principal setor da economia. São eles: São Miguel das Missões (167,9%), André da Rocha (156,1%), Três Arroios (143,2%), Boa Vista do Cadeado (141,7%) e Bozano (131,5%).

No Gráfico 1, podemos observar a taxa de crescimento dos 10 municípios com maior ganho de participação em 2013. Tupanciretã foi o município que mais cresceu, graças à recuperação da soja, que também teve um impacto positivo em Júlio de Castilhos e em Cruz Alta. Rio Grande obteve o maior ganho de participação devido ao elevado crescimento nos serviços e na produção de outros equipamentos de transporte. Passo Fundo apresentou crescimento do comércio de combustíveis, e Gravataí destacou-se na produção de automóveis


Fonte:
http://www.fee.rs.gov.br/indicadores/pib-rs/municipal/destaques/

MUNICÍPIO DE TUPANCIRETÃ IMPLANTA O IPTU ECOLÓGICO


Os munícipes de Tupanciretã a partir de 2016 passaram a usufruir do IPTU Ecológico através do Decreto 4.818 de 1/9/2015 em seu CAPITULO II que Trata do PROGRAMA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL que declara que todos os contribuintes do IPTU que possuam atitude ecológica ambiental em seus imóveis individualizados, nos termos do Art. 83 e 84 da Lei Municipal 3.645/2014  será concedido desconto no valor anual do IPTU pelo período de 5 anos consecutivos nas formas:

1) Plantio de 1 ou mais árvores na calçada de residencias na horizontal previamente indicadas pela SMMA ou a conservação de arvores já existentes - DESCONTO 2%

2) Toda a residencia ou prédio que tiver no minimo 20% da área com cobertura vegetal (grama) terá o seguintes desconto
 a) Imóvel na horizontal - DESCONTO DE 2%
b) Imóvel edificado - DESCONTO DE 1% 
obs.: O desconto não se aplica a sítios de recreio

3) Será concedido desconto de até 15% (quinze por cento) no valor devido anual com adoção das seguintes medidas:
1.1) Sistema de captação da água da chuva - DESCONTO DE 3% (três por cento);
Ilustração: não é obrigatório que seja assim

1.2) Sistema de reuso da água - DESCONTO DE 3% (três por cento);
Ilustração: não é obrigatório que seja assim

1.3) Sistema de aquecimento solarDESCONTO DE 3% (três por cento);

Ilustração: não é obrigatório que seja assim

1.4) Construção com material sustentável DESCONTO DE 3% (três por cento);

Ilustração: não é obrigatório que seja assim

1.5) Utilização de energia passiva DESCONTO DE 3% (três por cento);
Ilustração: não é obrigatório que seja assim

1.6) Utilização de energia eólicaDESCONTO DE 5% (cinco por cento);

Ilustração: não é obrigatório que seja assim


1.7) Instalação de telhado verdeDESCONTO DE 3% (três por cento);

Ilustração: não é obrigatório que seja assim

1.8) Condomínios na horizontal ou na vertical que destinarem corretamente os RESÍDUOS SÓLIDOS  (orgânicos para compostagem), (secos - papéis, plásticos, metálicos e alumínio - para unidade de reciclagem da ARMDAT), (tecnológicos, eletroeletrônicos, vidros, pneus para o ECOPONTO)  - DESCONTO DE 5% (cinco por cento);


COMO PROCEDER PARA SOLICITAR O DESCONTO?

O contribuinte vai atá o Setor de PROTOCOLO DA PREFEITURA MUNICIPAL solicita a um REQUERIMENTO a SECRETARIA DA FAZENDA com a descrição do (s) item que já possuem em conformidade a no minimo 2 itens citados acima

Após aberto o processo o mesmo segue para SMMA -  Meio Ambiente Tupanciretã para vistoria, laudo, parecer e decisão sobre a solicitação;

Na sequencia ao Jurídico do município

Se deferido o FISCO municipal procederá os registros para fins de calculo dos descontos;
Se indeferido o contribuinte ainda terá uma defesa 

Final comunicação ao contribuinte