20/02/2016

MÉTODOS AUXILIARES PARA COMBATER O MOSQUITO AEDES E OUTROS

INSETICIDA ECOLÓGICO DE FERMENTO DE PÃO E AÇÚCAR MASCAVO

INGREDIENTES

1 garrafa PET de 2 litros vazia
2 copos de água quente
5 colheres (sopa) de açúcar mascavo
2 colheres (chá) de fermento para pão
Meia folha de cartolina preta um saco de lixo preto pequeno

MODO DE PREPARO
Corte a garrafa PET um pouco acima da metade (veja o vídeo abaixo) e reserve a parte do gargalo.
Coloque a água quente na outra metade da garrafa.
Acrescente o fermento para pão e o açúcar.
Não mexa.

Coloque a parte do gargalo voltada para baixo dentro da outra metade da garrafa (veja o vídeo).
Enrole a garrafa com a cartolina ou o plástico preto, fixe com um esparadrapo e coloque em algum canto de sua casa (no quarto, na sala, cozinha, varanda, por exemplo).
Deixe por semanas e então você verá uma grande a quantidade de mosquitos que morreram dentro da garrafa.
Retire os mosquitos mortos e renove os ingredientes, deixando sempre por 15 dias.

A armadilha ecológica serve para todos os tipos de mosquitos.

Além disso, não deixe água parada em casa, coloque areia nos pratinhos dos vasos de flor, vire garrafas de cabeça para baixo e tampe a caixa-d´água.

Todas essas medidas impedem a reprodução do Aedes aegypti.

MINUTO AMBIENTAL - CAMPANHA PERMANENTE DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM TUPANCIRETÃ

Com o propósito de manter diariamente a educação em todos os elos da sociedade Tupanciretamense a SMMA lança nesta segunda 22/02/2016 o MINUTO AMBIENTAL que serão propagados da seguinte forma:
1 - Mensagens digitais para uso na net, na tv de escolas, no not ou computador, nas projeções educativas nas escolas, empresas, cooperativas, sindicatos e também para jornais e revistas;
2 - Mensagem impressa na forma de uma ficha para leitura diária nas salas de aula publicas municipais, estaduais e particulares bastando apenas imprimir e recortar;
3 - Uma série inicial esta produzida com esta publicação e outra com frequência serão divulgadas.
























CONHECENDO O MOSQUITO VILÃO - AEDES


Aedes (Stegomyia) aegypti (aēdēs do grego "odioso" e ægypti do latim "do Egipto") é a nomenclatura taxonômica para o mosquito que é popularmente conhecido como mosquito-da-dengue ou pernilongo-rajado,  uma espécie de mosquito da família Culicidae proveniente de África, atualmente distribuído por quase todo o mundo, especialmente em regiões tropicais e subtropicais, sendo dependente da concentração humana no local para se estabelecer.
O mosquito está bem adaptado a zonas urbanas, mais precisamente ao domicílio humano, onde consegue reproduzir-se e pôr os seus ovos em pequenas quantidades de água limpa e parada, isto é, pobres em matéria orgânica em decomposição e sais (que confeririam características ácidas à água), que preferivelmente estejam sombreados e no peridomicílio.
As fêmeas, para realizar a hematofagia, podem percorrer até 2 500 m.[2] É considerado vector de doenças graves, como dengue,febre amarela, febre zica e chikungunya. O controle das suas populações é considerado assunto da saúde pública.


Descrição

O Aedes aegypti é um mosquito que se encontra ativo e pica durante o dia, ao contrário do Anopheles, vector da malária, que tem atividade crepuscular. O Aedes aegypti tem como vítima preferencial o homem e faz praticamente nenhum som audível antes de picar. Mede menos de 1 centímetro, é preto com manchas brancas no corpo e nas pernas.


O seu controle é difícil, por ser muito versátil na escolha dos criadouros onde deposita seus ovos, que são extremamente resistentes, podendo sobreviver vários meses até que a chegada de água propicie a incubação. Uma vez imersos, os ovos desenvolvem-se rapidamente em larvas, que dão origem às pupas, das quais surge o adulto. Como em quase todos os outros mosquitos, somente as fêmeas se alimentam de sangue para a maturação de seus ovos. Os machos se alimentam apenas de substâncias vegetais e açucaradas. 



Por se adaptar bem a vários recipientes, a expansão deste mosquito a partir do seu habitat original foi rápida. O Aedes aegypti foi introduzido na América do Sul através de barcos provenientes de África. Nas Américas, admite-se que sua primeira colonização sobre o Novo Mundo ocorreu através dos navios negreiros no período colonial junto com os escravos. No Brasil, o Aedes aegypti havia sido erradicado na década de 1950; entretanto, nas décadas de 1960 e 1970, ele voltou a colonizar esse país, vindo dos países vizinhos que não haviam conseguido promover a sua total erradicação. 

O Aedes aegypti está presente nas regiões tropicais de África e da América do Sul, chegando à Ilha da Madeira, em Portugal e ao estado da Flórida, nos Estados Unidos. Nessa zona, o Aedes aegypti tem vindo a declinar, graças à competição com outra espécie do mesmo gênero, o Aedes albopictus. Este fato, porém, não trouxe boas notícias, uma vez que o A. albopictus é também um vetor da dengue, bem como de vários tipos de encefalite equina. Mas, no Brasil, o único que transmite a Dengue é o A.aegypti. E a competição entre as duas espécies ocorre devido ao fato de a fêmea do A. aegypti se acasalar tanto com o macho de sua espécie, quanto com o macho do A. albopictus que é mais agressivo e, sendo de outra espécie, gera ovos inférteis, reduzindo assim a população de A. aegypti. 

Repelentes baseados no composto DEET (N,N-dietilmetatoluamida) são recomendados contra o Aedes aegypti.
Fonte: Wikipédia





19/02/2016

EXERCITO BRASILEIRO ATRAVÉS DO 29° BIB DE SANTA MARIA REALIZA E CUMPRE MISSÃO COMUNITÁRIA EM TUPANCIRETÃ



Com o objetivo e eliminar possíveis focos ou criadouros do mosquito AEDES AEGYPTI transmissor de várias doenças que ainda não tem vacina o município de Tupanciretã realiza a "SEMANA DA LIMPEZA" que contou com o expressivo trabalho do corpo de militares do EB - 29° BIB de Santa Maria comandado pelo Ten. Firmino, Sargentos, Cabos e Soldados, também suporte da SMMA - Meio Ambiente através do empenho pessoal do secretário Luis Afonso e equipe, mais a SMS - Saúde através da Coordenadora do Comitê de endemias - Isabel Prestes, da SMOV - Obras apoiado pelo secretário Chico Cancian e numa atenção de trabalho na coleta dos resíduos orgânico o Sr. Joacir e funcionários da SMOV está sendo realizada a maior faxina de todos os tempos em Tupanciretã e em tempo record que até o momento esta assim tabulada:


  A missão do 29° foi encerrada as 11h que a partir deste momento segue pelo Administração municipal através da SMOV - Obras, SMMA - Meio Ambiente e parceiros para finalizar esta coleta e dar a destinação correta tanto dos resíduos secos e orgânicos e dos entulhos. A coleta segue até a próxima semana devido a grande quantidade de material ainda disponibilizado na frente das residencia dos munícipes que atenderam o pedido dos envolvidos em especial a Radio Tupan AM e Club UM FM que se desdobraram transmitindo de tempo em tempo a informação a nossa comunidade, também registramos o apoio da Rádio Comunitária Raul Bopp  que apoiou e informou aos munícipes os acontecimentos desta semana.

Ainda hoje uma galeria especial deste 18/02 .....aguardem