24/12/2017

TUPANCIRETÃ TEM 75º POSIÇÃO DO PIB NO RS

O ranking do PIB dos municípios relativo a 2015, divulgado pela Fundação de Economia e Estatística (FEE), trouxe a média do PIB per capita. E o resultado não é nada animador em relação a Santa Maria, onde cada habitante tem renda média de R$ 23.026 por ano - ou R$ 1.918 por mês. Com isso, fica em 20º lugar na região e só o 316º maior PIB entre as 497 cidades gaúchas. A título de comparação, essa é a situação de cidades do nosso porte, como Pelotas (R$ 21.553 e 346º lugar) e Passo Fundo (R$ 39.738 e 105º). Esse ranking mostra como precisamos avançar muito no desenvolvimento econômico.
O tamanho das cidades influencia na conta, e alguns municípios bem pequenos mas que produzem bastante grãos acabam tendo uma média per capita bem maior. O problema é que, em algumas dessas cidades, a riqueza está concentrada nas mãos de poucos. Pinhal Grande tem um resultado excelente, ficando em 6º no Estado, porque o faturamento de uma usina hidrelétrica conta para o PIB da cidade.
Fonte: http://polopoly10.suitasistemas.com/preview/www/2.3612/2.4234/2.4236/2.4248/1.2035788

FELIZ NATAL


O RIO GRANDE DO SUL PERDE UM GUERREIRO DAS CAUSAS E DEFESAS DO PRODUTOR RURAL

Imagem relacionada   Uma grande lacuna foi deixada pelo falecimento Carlos Rivaci Sperotto, ele constitui-se num personagem emblemático pois muitos o admiravam, era invejado por tantos e alguns nem tanto.O sistema Sindical perdeu um de seus mentores, apagou-se uma grande luz e uma enorme chama diminuiu. Garra, dinamismo, conhecimento, trabalho e superação eram algumas de suas inúmeras marcas. Sua trajetória confunde-se com a própria evolução do agronegócio brasileiro, principalmente o gaúcho... Desde suas origens, sempre vinculada ao meio rural, iniciou sua trajetória na representação sindical nos municípios de Santo Augusto e Ijuí, passando a ser reconhecido por suas ações, trabalho e posicionamentos sendo diretor da Farsul no início da década de 90. Sua trajetória confunde-se com a nova forma de condução da Farsul, assumindo a presidência da Farsul no terço final da década de 90. Pessoa de fino trato, com posicionamentos firmes e enérgicos mas ao mesmo tempo capaz de conduzir com empatia e simplicidade toda e qualquer conversa, seja ela com um trabalhador rural ou até mesmo com um governante, assim será lembrado como alguém de muitos relacionamentos todos eles voltados ao produtor rural e ao sistema Sindical. Passou a ser respeitado ao longo de vários embates desde os do direito da propriedade, biotecnologia, meio ambiente, economia, representação política e social. além da presidência da Farsul, era dirigente do Sebrae e vice presidente da CNA além de titular em comitês internacionais. Constituiu-se um líder, influenciando e auxiliando muitos governantes nas áreas voltadas ao setor primário, era um concentrador de ideias e projetos, estimulava quando preciso, incentivava quando necessário trabalhava com afinco, conhecimento e sabedoria as matérias do setor rural.Seus discursos serão sempre lembrados, suas ações, posicionamentos e formas de agir e de se postar ficarão marcadas por gerações e farão falta a todos nós. O Sindicato Rural lamenta o seu falecimento, agradece e reconhece o seu trabalho ao mesmo tempo que envia os mais sinceros sentimentos aos familiares, diretoria da Farsul e ao sistema Sindical como um todo.. Fonte: https://www.facebook.com/sindicatorural.tupancireta




Banco de imagens da Lagartus quando Sperotto por aqui estava defendendo a classe e uma das palavras que sempre usava em seu discurso que para a "FARSUL produtor não tem tamanho" e isto valorizou o seu trabalho em defesa de todos os produtores para o qual tinha uma grande relação de respeito com a FETAG - Federação dos Trabalhadores na Agricultura. LAC